FMI: eleições empurram crescimento do PIB
A economia angolana deverá recuperar da estagnação do ano passado e crescer 1,3% este ano e 1,5% em 2018, segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI), que atribui este crescimento ao aumento da despesa pública em ano de eleições. O FMI inscreve nas suas Previsões Económicas Mundiais divulgadas esta terça-feira em Washington, que a economia de Angola tem uma perspetiva de crescimento, este ano, de 1,3% para 1,5%, depois de sofrer uma recessão de 0,7% no Produto Interno Bruto (PIB) do ano passado. Recorde-se que a previsão do anterior Governo aponta para um crescimento de 1,1% em 2016 e de 2,1% este ano.

Notícias

sem nome

Moçambique: Venâncio Mondlane na Renamo

Mondlane foi apresentado pelo Secretário-geral, Manuel Bissopo, que, no entanto, não o anunciou como cabeça de lista do partido. O político moçambicano Venâncio Mondlane foi hoje apresentado, em Maputo, como novo reforço da Renamo, maior partido da oposição do país.

Governo quer reduzir para metade subsídios às empresas públicas

O Governo angolano pretende cortar para metade os subsídios anuais às empresas do Setor Empresarial Público (SEP) e concluir a privatização de pelo menos 20 unidades não estratégicas, nos próximos quatro anos. O objetivo está inscrito no Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN) 2018-2022, aprovado pelo Governo e já publicado oficialmente.

sem nome

TAAG e TACV autorizadas a voar para a Europa

A Agência Europeia para a Segurança da Aviação (AESA) já a lista de operadores aéreos de países terceiros autorizados a voar para a Europa, incluindo a angolana TAAG e a cabo-verdiana TACV. A lista dos Operadores de Países Terceiros, atualizada, inclui as transportadoras aéreas de Angola (TAAG) e de Cabo Verde (TACV) a voar para os 32 países que a integram, incluindo os 28 Estados-membros da União Europeia (UE).

Primeiro ministro de Portugal em visita oficial a Moçambique

O primeiro-ministro português, António Costa, chegou, esta quinta-feira, a Maputo para uma visita oficial de dois dias que inclui a III Cimeira Luso-Moçambicana, uma deslocação ao porto de Maputo e encontros com empresários e comunidade portuguesa. A comitiva viajou desde Lisboa e foi recebida por dois ministros moçambicanos – Negócios Estrangeiros e Cooperação, José Pacheco, e Transportes e Comunicação, Carlos Mesquita.

Moçambique tem a primeira mulher comandante de avião

Pela primeira vez, Moçambique passa a contar com uma mulher comandante de aeronave comercial. O feito pertence a Admira António que, desde Junho, cometeu a proeza de passar para o comando das aeronaves do tipo Embraer 145 da MEX – Moçambique Expresso, subsidiária da LAM – Linhas Aéreas de Moçambique. Uma nota de imprensa da LAM, companhia de bandeira nacional, revela que o início deste facto data de 2013, ano em que se iniciou a carreira da ora Comandante Admira, na Mex, onde até ao primeiro semestre do ano em curso era Co-piloto, sempre de aeronaves Embraer 145.

Angola e Moçambique com novas oportunidades para investidores estrangeiros

A empresa internacional de consultoria Control Risks anunciou que Angola está a diminuir o risco e a aumentar a perspetiva de recompensa para os investidores internacionais. E para a mesma consultora, com sede em Londres e escritórios em 36 países, os recentes desenvolvimentos económicos em Moçambique “abriram novas oportunidades para os investidores estrangeiros” em vários setores, registando a segunda melhor evolução em África na relação entre o risco e a recompensa.

Artigos de opinião

As universidades de direito e a confiança dos agentes económicos na justiça

Só um ensino universitário do Direito de elevados padrões e com indicadores já em aplicação nos cursos jurídicos de ensino superior ministrados em Angola, pode ser desenvolvido um clima de confiança nos investidores.
Eduardo Vera-Cruz Pinto
Professor Catedrático e docente nos cursos de pós-licenciatura na Universidade Agostinho Neto.

Consequências para a economia das dívidas escondidas

O novo Presidente da República de Moçambique, Filipe Nyusi, e o seu Governo, liderado por Carlos Agostinho do Rosário, assumiram publicamente dívidas.

Investir em Angola

A Lei n.º 20/11, de 20 de Maio (Lei de Investimento Privado – LIP), veio definir o acesso aos benefícios e incentivos para o investimento em Angola e abrange todos os sectores de atividade

Destaques

Dívidas ocultas: FMI e Governo sem acordo

A próxima quarta-feira é o último dia das negociações entre os técnicos do FMI e o Governo de Moçambique para um acordo sobre as designadas “dividas ocultas”. O Fundo Monetário Internacional (FMI) está em Moçambique com uma equipa de técnicos para “discutir os resultados da auditoria (dívidas escondidas) com as autoridades e possíveis medidas de seguimento”, anunciou a instituição, em comunicado. A agenda de encontros entre os elementos do FMI e as autoridades moçambicanas permanece reservada e as reuniões vão decorrer à porta fechada. Mas a pressão para explicações sobre as designadas dividas ocultas tem sido muita.

SATA poderá ser a solução para a TACV

A companhia aérea açoriana SATA, que no sábado inaugurou ligações aéreas bissemanais entre Boston, nos Estados Unidos, e a cidade da Praia, em Cabo Verde, via Ponta Delgada, anunciou que está a avaliar uma parceria com a Transportadora Aérea Cabo-Verdiana (TACV), que atravessa graves problemas financeiros e que a partir de 1 de Agosto deixará de assegurar voos domésticos no arquipélago.

Renamo reúne apoios para tentar derrubar a Frelimo

Em Moçambique as negociações para a paz continuam a decorrer entre os dois maiores partidos, Renamo e Frelimo, mas no tabuleiro do xadrez político já se começam a mexer as peças para as eleições autárquicas de 2018 e para as gerais de 2019. Na passada quinta-feira (1 de Junho), foi anunciada uma nova coligação que reúne 47 partidos, sem assento parlamentar, que declarou o seu apoio ao dirigente da Renamo, Afonso Dhlakama, com o objetivo de retirar a Frelimo do poder nos próximos atos eleitorais.