Angola

Divisão Administrativa

18 Províncias

Informações sobre o País

Notícias

sem nome Oposição pede data para as autarquias

Os partidos da oposição com assento no Parlamento querem a indicação de uma data precisa para a realização urgente das eleições autárquicas, em função da gestão económica, administrativa e política do país. A exigência foi manifestada, ontem, em Luanda, por representantes da UNITA e do PRS, na sequência do anúncio do Presidente da República, João Lourenço, sobre as autarquias locais. O Presidente da República, João Lourenço, anunciou, em Benguela, que o país deverá prepara-se para instaurar o poder autárquico antes de 2022, um processo que vai contar com a participação dos partidos políticos com assento parlamentar e o concurso da sociedade civil organizada.

sem nome Angola quer realizar as primeiras eleições autárquicas antes de 2022

O Presidente angolano anunciou ontem que executivo vai preparar as condições legais e técnicas para realizar as primeiras eleições autárquicas em Angola antes das eleições gerais de 2022, em data a “negociar” com os partidos. O anúncio foi feito por João Lourenço, em Benguela, no discurso de abertura da primeira reunião do novo conselho de governação local, órgão consultivo do Presidente da República para as questões da administração local, reunindo vários ministros e os 18 governadores provinciais.

sem nome Caras novas para as empresas públicas

O Presidente da República nomeou novos administradores para a TAAG, ENANA, E.P., EPAL, ENDE, Caminho de Ferro de Luanda, entre outras. Conheça os novos restos que vão gerir as empresas públicas angolanas. José João Kuvíngua vai ocupar o cargo de presidente do Conselho de Administração da TAAG, Manuel Pereira Gustavo Ferreira de Ceita vai dirigir a ENANA, E.P.) e o Conselho de Administração da Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade (ENDE) é agora presidido por Ruth do Nascimento Safeca.

sem nome Fidelidade inaugura agência

A seguradora Fidelidade Seguros de Angola inaugurou esta semana, em Luanda, um centro de mediação e vendas, no qual investiu cem milhões de dólares (cerca de 17 mil milhões de kwanzas) e foram criados 12 postos de trabalho. O presidente do Conselho de Administração da Agência Reguladora e de Supervisão dos Seguros (Arseg), Aguinaldo Jaime (na foto), considerou que a abertura do centro vai credibilizar o mercado de seguros. O centro conduz “a uma maior taxa de penetração dos serviços e uma maior taxa de densidade, o que não sendo apenas tarefa dos investidores, reguladores e poderes públicos é, antes, resultado de uma parceria do poder público e reguladores e operadores do mercado.”

Artigos de opinião

As universidades de direito e a confiança dos agentes económicos na justiça

Só um ensino universitário do Direito de elevados padrões e com indicadores já em aplicação nos cursos jurídicos de ensino superior ministrados em Angola, pode ser desenvolvido um clima de confiança nos investidores.
Eduardo Vera-Cruz Pinto
Professor Catedrático e docente nos cursos de pós-licenciatura na Universidade Agostinho Neto.

Investir em Angola

A Lei n.º 20/11, de 20 de Maio (Lei de Investimento Privado – LIP), veio definir o acesso aos benefícios e incentivos para o investimento em Angola e abrange todos os sectores de atividade

Destaques

A um mês das eleições Banco Mundial desce classificação de Angola

Angola vai a eleições para eleger um novo Presidente da República no próximo dia 23 de agosto. A campanha para as presidências está no terreno e o Banco Mundial divulga relatório que vai entrar na discussão política. O Banco Mundial desceu a classificação de Angola para país de renda média-baixa, o penúltimo dos quatro níveis com que a instituição classifica as economias mundiais, pelos rendimentos em função da população.

Angola a um mês de eleições

Angola vai a eleições para eleger um novo Presidente da República no próximo dia 23 de agosto. Presidente da República de Angola desde 1979, é a primeira vez que José Eduardo dos Santos não concorre, dando a vez a João Lourenço, atual ministro da Defesa. No próximo ano, há outros três países africanos de língua oficial portuguesa que vão a votos: Moçambique e S. Tomé e Príncipe com eleições legislativas e a Guiné Bissau com legislativas e presidenciais. Já em Cabo Verde só estão previstas eleições legislativas para 2021.

Manifestação na Lunda-Norte termina em tragédia

A luta pela autonomia na Lunda-Norte levou este sábado (24 de Junho) para as ruas daquela província angolana uma manifestação promovida pelo Movimento do Protectorado de Lunda Norte Tchokwé, que acabou em confrontos com a polícia, de que resultaram a morte de um jovem e 13 feridos.