Caracterização Institucional

Amílcar Cabral

14 Setembro, 2016

Nascido em Bafatá, Guiné Bissau, em 1924, Amílcar Cabral, filho de pai cabo-verdiano, mudou-se para a ilha de Santiago, em Cabo Verde, aos oito anos, onde completou o ensino primário. Posteriormente foi viver para o Mindelo, onde completou o ensino liceal. Depois de apenas um ano a trabalhar na Imprensa Nacional, de novo na ilha de Santiago, Amílcar Cabral conseguiu uma bolsa de estudos, em 1945, tendo vindo para Lisboa frequentar o Instituto Superior de Agronomia, onde se licenciou.

Regressou à Guiné-Bissau, em 1952, contratado pelo Ministério do Ultramar como adjunto dos Serviços Agrícolas e Florestais, tendo participado no Recenseamento Agrícola de 1953. Esse projecto levou-o a percorrer todo o território da Guiné, contactando a população porta a porta e tomando conhecimento da realidade do país, começando a ter actividade política, que lhe valeu a expulsão do território e o levou a emigrar para Angola. Em Angola juntou-se ao MPLA e em 1955 participou na Conferência de Bandung, abraçando definitivamente a vida política e mergulhando na problemática afro-asiática. Em 1959, juntamente com o seu irmão Luis Cabral, Aristides Pereira e outros independentistas, funda o Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC). Em 1963 o partido, reconhecido pela ONU, sai da clandestinidade e estabelece uma delegação em Conacri, capital da República da Guiné-Conacri, dando início à luta armada contra o exército português, a partir de bases naquele país vizinho.

Em 1973 Amílcar Cabral foi assassinado em Conacri, por membros do seu próprio partido. Aristides Pereira assumiu o lugar de Secretário-Geral do PAIGC e após a independência da Guiné-Bissau, declarada unilateralmente pelo partido em 1973, foi o irmão de Amílcar Cabral, Luis de Almeida Cabral, que assumiu a Presidência da República, onde se manteve até 1980, data em que foi deposto por um golpe de Estado liderado por Nino Vieira.