Caracterização Institucional

Eduardo Chivambo Mondlane

14 Setembro, 2016

Nascido em Manjacaze, em 1920, Eduardo Mondlane foi um dos fundadores e o primeiro presidente da Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO).

Filho de um chefe tradicional, Eduardo Mondlane estudou numa missão presbiteriana suiça em Manjacaze, tendo terminado o ensino secundário numa escola da mesma missão, na África do Sul. Iniciou o seu curso de sociologia, com uma bolsa de estudos, na Universidade de Lisboa, onde conheceu futuros líderes de outros movimentos nacionalistas africanos, nomeadamente Amílcar Cabral e Agostinho Neto.Terminou a sua formação académica nos Estados Unidos, no Oberlin College e na Northwestem University, onde se doutorou em sociologia. Eduardo Mondlane trabalhou para as Nações Unidas, no Departamento de Curadoria, como investigador, e deu aulas de História e Sociologia na Universidade de Syracuse, em Nova Iorque.

Em 1961 regressou a Moçambique, a convite da missão suiça, estabelecendo contacto com vários nacionalistas, percebendo que se tinham formado três movimentos com o mesmo propósito: a independência do território. Cada movimento tinha a sua sede num país diferente e apesar das suas bases sociais e étnicas também não serem comuns, Mondlane tentou unir a União Democrática Nacional de Moçambique (UDENAMO), a Mozambique African National Union (MANU) e a União Nacional Africana para Moçambique Independente (UNAMI), o que conseguiu, com o apoio do Presidente da Tanzânia. A Frelimo nasceu da união destes três movimentos, na Tanzânia, em 1962, tendo Eduardo Mondlane sido eleito o seu primeiro presidente.

Concluindo que só através de uma força armada seria possível conseguir a independência, Mondlane conseguiu apoios para formar os primeiros guerrilheiros na Argélia, entre eles Samora Machel, que o viria a substituir após a sua morte. Mais guerrilheiros começaram a ser formados na Tanzânia, onde a FRELIMO criou também uma escola secundária, ao mesmo tempo que organizava um sistema de comércio em Moçambique que permitia financiar o partido. Eduardo Mondlane morreu em 1963, em Dar es Salaam, num atentado, ao abrir uma encomenda que continha uma bomba.