Caracterização Institucional

Angola a um mês de eleições

19 Julho, 2017

Angola vai a eleições para eleger um novo Presidente da República no próximo dia 23 de agosto. Presidente da República de Angola desde 1979, é a primeira vez que José Eduardo dos Santos não concorre, dando a vez a João Lourenço, atual ministro da Defesa. No próximo ano, há outros três países africanos de língua oficial portuguesa que vão a votos: Moçambique e S. Tomé e Príncipe com eleições legislativas e a Guiné Bissau com legislativas e presidenciais. Já em Cabo Verde só estão previstas eleições legislativas para 2021.
As eleições em Angola são aguardadas com expectativa já que é a primeira vez que José Eduardo dos Santos não se apresenta ao sufrágio. Uma mudança que foi sendo prevista ao longo dos últimos anos, tendo em atenção a longa permanência na presidência e a idade de José Eduardo dos Santos que completará 75 anos cinco dias depois das eleições. O regime vigente em Angola é o presidencialismo, em que o Presidente da República é igualmente chefe do Governo, que tem ainda poderes legislativos. Também é o Presidente da República que nomeia os governadores das 18 províncias, sendo que em Angola não há eleições autárquicas. Pela UNITA, segundo maior partido em Angola, candidata-se nestas eleições o seu presidente, Isaías Samakuva.
As movimentações políticas estão também a acelerar nos restantes PALOPs, com a aproximação de eleições legislativas e presidenciais. No caso de Moçambique estão também em preparação as quintas eleições autárquicas, agendadas para 10 de outubro de 2018 e as presidências apenas em 2021. Em 2018, é a vez da Guiné com eleições legislativas e presidenciais e S. Tomé e Príncipe apenas com legislativas já que as presidências estão previstas para 2021. Também em 2021 é a vez de Cabo-Verde com eleições legislativas.