Caracterização Institucional

Artur Sanhá em campanha para a liderança do PRS

20 Setembro, 2017

Artur Sanhá, antigo primeiro-ministro apresentou, esta semana, aos militantes a sua candidatura à liderança do PRS e garantiu que se for eleito o partido terá um outro posicionamento perante a crise política que assola o país. O congresso do PRS para escolher novo líder decorre entre 26 e 29 de Setembro.
Na corrida à liderança do Partido da Renovação Social, Artur Sanhá, antigo primeiro-ministro e ex-secretário-geral dos renovadores, criticou a posição do PRS em relação ao apoio ao presidente da República. O congresso do PRS para escolher novo líder decorre entre 26 e 29 de Setembro, sob o lema “Consolidação do Estado de direto democrático para melhor servir a Guiné-Bissau”. Os candidatos já abriram as hostilidades, pelo menos a nível verbal, com ataques e promessas de revelações bombásticas. Artur Sanhá apresentou-se aos militantes para lhes garantir que, se for eleito, o PRS terá um outro posicionamento perante a crise política que assola o país. Sanhá entrou em ruptura com o posicionamento da atual direcção do partido, que apoia as iniciativas do chefe do Estado, com o PRS a integrar os cinco governos até aqui nomeados por José Mário Vaz.
Além de Artur Sanhá, concorrem à liderança Alberto Nambeia, actual líder do partido, Ibraima Sori Djaló, antigo presidente do parlamento, Sola N´Quilin, actual ministro da Administração Territorial, Fernando Correia Landim, ex-ministro das Pescas, Aladje Sonco, funcionário das Alfândegas de Bissau, Aladje Nanque, ex-deputado, e Ribana Bder Na Nkek e Camnate Djata, membros do conselho nacional do PRS. Esta vai ser o primeiro congresso do partido sem a presença de Kumba Ialá, que morreu em Abril de 2014, em circunstâncias ainda não totalmente esclarecidas. O congresso vai realizar-se na localidade de Gardete, nos arredores de Bissau.