Caracterização Institucional

Companhia aérea de Cabo Verde vai ser privatizada

25 Maio, 2017

O primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia da Silva, em entrevista à televisão nacional do país, onde fez o balanço do seu primeiro ano de governação, confirmou o fim dos voos inter-ilhas realizados pela TACV-Transportadora Aérea de Cabo Verde e admitiu “reajustes” no Governo.
Ulisses Correia da Silva, que considerou que o desempenho do Governo “está a corresponder” às suas expectativas, admitiu, no entanto, que pensa fazer algumas mexidas pontuais no elenco governativo, que é composto por apenas 12 ministros.
Sobre o crescimento económico de Cabo Verde, o primeiro-ministro mostrou-se muito otimista, considerando que será possível um crescimento anual de 7%.
Os problemas na TACV, cujos voos domésticos e regionais serão assumidos, a partir de 1 de Agosto, pela Binter Cabo Verde, também fizeram parte desta longa entrevista. Nela, Ulisses Correia da Silva revelou que a empresa será privatizada e que até Julho serão conhecidos os dois parceiros que entrarão nesta operação.
Na passada terça-feira, 23 de Maio, o ministro da Economia de Cabo Verde, José Gonçalves, em conferência de imprensa, já tinha anunciado que a TACV deixaria de realizar voos domésticos, mas que manteria as rotas internacionais que seriam, no entanto, reestruturadas.
Comunicou também na altura que os departamentos de manutenção e engenharia da transportadora nacional seriam reestruturados e privatizados e que haveria redução de trabalhadores na TACV, que tem uma dívida acumulada de 110 milhões de euros.