Caracterização Institucional

Renamo reúne apoios para tentar derrubar a Frelimo

5 Junho, 2017

Em Moçambique as negociações para a paz continuam a decorrer entre os dois maiores partidos, Renamo e Frelimo, mas no tabuleiro do xadrez político já se começam a mexer as peças para as eleições autárquicas de 2018 e para as gerais de 2019.
Na passada quinta-feira (1 de Junho), foi anunciada uma nova coligação que reúne 47 partidos, sem assento parlamentar, que declarou o seu apoio ao dirigente da Renamo, Afonso Dhlakama, com o objetivo de retirar a Frelimo do poder nos próximos atos eleitorais.
De acordo com João Massango, presidente do partido ecologista Movimento da Terra, citado pela Rádio França Internacional, a intenção desta coligação é ajudar a “direcionar o voto” e conseguir retirar o poder à Frelimo.
Por seu turno, Afonso Dhlakama, em contacto telefónico com jornalistas no final de maio, mostrou algum desencanto com o decorrer das negociações de paz com a Frelimo, que considerou “lentas” e não estarem a ir ao encontro do que esperava.
O líder da Renamo, que considerou, no entanto, importante o trabalho feito, até ao momento, pelas comissões da Renamo e do Governo encarregadas da descentralização do Estado e dos assuntos militares, aponta o dedo ao partido no poder por ainda se manter o cerco militar à serra da Gorongosa.