Angola

sem nome

Fidelidade inaugura agência

A seguradora Fidelidade Seguros de Angola inaugurou esta semana, em Luanda, um centro de mediação e vendas, no qual investiu cem milhões de dólares (cerca de 17 mil milhões de kwanzas) e foram criados 12 postos de trabalho. O presidente do Conselho de Administração da Agência Reguladora e de Supervisão dos Seguros (Arseg), Aguinaldo Jaime (na foto), considerou que a abertura do centro vai credibilizar o mercado de seguros. O centro conduz “a uma maior taxa de penetração dos serviços e uma maior taxa de densidade, o que não sendo apenas tarefa dos investidores, reguladores e poderes públicos é, antes, resultado de uma parceria do poder público e reguladores e operadores do mercado.”

sem nome

PALOP ganham 1,8 mil milhões no comércio com a Europa

A balança comercial da União Europeia (UE) com os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) é desfavorável aos europeus em quase 1,8 mil milhões de euros. A UE exportou para os PALOP bens e serviços no valor total de 5,1 mil milhões de euros, tendo importando destes países africanos o equivalente a 6,9 mil milhões de euros durante o ano passado, segundo os números agora divulgados pelo Eurostat, o gabinete estatístico da EU.

sem nome

Angola lança concurso internacional para quarto operador de telecomunicações

O Governo angolano vai lançar um novo concurso público internacional para um quarto operador de telecomunicações, incluindo a rede fixa, móvel e de televisão por subscrição, integrando o Estado a estrutura acionista com 45% do capital. O anúncio foi feito hoje, em Luanda, pelo ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha, garantindo que até final deste ano o regulador do setor terá disponíveis os cadernos de encargos para os investidores interessados.

Cabo Verde

sem nome

Privatização da TACV concluída até março

O ministério das Finanças de Cabo-verde, liderado Olavo Correia, pretende concluir o processo de privatização da companhia área TACV até finais do 1.º trimestre do próximo ano. A garantia foi dada perlo próprio ministro, Olavo Correia que afirmou recentemente que a privatização do negócio internacional da TACV vai arrancar com a avaliação da empresa e espera concluir o processo no próximo ano. “Estamos a trabalhar a todo o vapor, mas temos de cumprir com os procedimentos. Tem que haver uma avaliação e só depois é que podemos avançar para o processo de privatização”, afirmou Olavo Correia.

sem nome

Cabo Verde quer receber mais de 3 milhões de turistas até 2030

O Governo traçou uma nova meta para este sector. Quer receber 3,15 milhões de turista até 2030. A ambição está vertida nas Grandes Opções do Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável do Turismo no horizonte 2030, um documento elaborado pelo Governo após serem recolhidos subsídios em várias mesas redondas realizadas em quase todas as ilhas do país. Mas para que isso aconteça p Governo promete remover “alguns obstáculos”, ligados sobretudo aos preços dos transportes, infraestruturas, segurança e diversificação das ofertas e dos mercados.

sata

SATA poderá ser a solução para a TACV

A companhia aérea açoriana SATA, que no sábado inaugurou ligações aéreas bissemanais entre Boston, nos Estados Unidos, e a cidade da Praia, em Cabo Verde, via Ponta Delgada, anunciou que está a avaliar uma parceria com a Transportadora Aérea Cabo-Verdiana (TACV), que atravessa graves problemas financeiros e que a partir de 1 de Agosto deixará de assegurar voos domésticos no arquipélago.

Guiné-Bissau

imagesLNO2W5SF

Empresários lusos em Bissau para avaliarem negócios no setor agrícola

Uma comitiva de empresários portugueses encontra-se de visita à Guiné-Bissau para analisar oportunidades de negócio no setor agrícola e fomentar o comércio entre empresários dos dois países. Durante a missão, que termina na próxima quinta-feira, os empresários vão reunir-se com várias entidades guineenses, participar num seminário sobre Agronegócios na Guiné-Bissau e conhecer a realidade local, bem como algumas empresas já instaladas no país.

FMI diz que recuperação está mais forte e liberta 3,7 milhões

Segundo o comunicado da instituição, liderada por Cristine Lagarde o governo da guiné está empenhado em implementar políticas fiscais e orçamentais que permitam a sustentabilidade das contas públicas. “As autoridades reiteraram seu compromisso com o programa apoiado pela ECF.

UE abre concurso para financiamento de projetos de direitos humanos na Guiné-Bissau

A União Europeia (UE) vai financiar projetos de promoção dos direitos humanos, da democracia e da boa governação de organizações na Guiné Bissau, entre outros, através de um concurso aberto até 15 de dezembro, anunciou a delegação guineense.

Moçambique

imagesUDYZ3DT2

Governo dá um ano às empresas para regularizarem licenciamento

O Governo de Moçambique publicou o novo regime de licenciamento simplificado para as atividades económicas, no passado mês de julho e concedeu um ano às empresas para regularizarem as suas licenças junto às entidades licenciadoras. O sector da agricultura, do comércio, das comunicações, da construção civil, da cultura, da indústria, das pesca, da prestação de serviços e do turismo estão abrangidos por este no diploma.

Instabilidade e falta de transparência afastam investidores de Moçambique

A consultora BMI Research considerou hoje que a instabilidade política e macroeconómica, juntamente com a falta de transparência, vai manter os investidores internacionais reticentes em investir em Moçambique, que dependerá do setor do gás natural para se desenvolver.
“Moçambique vai continuar como um dos mais arriscados mercados para o desenvolvimento de infraestruturas na África subsaariana, com os investidores preocupados com a atual instabilidade política e económica, falta de transparência e fraco ambiente empresarial em comparação com os pares regionais”, lê-se numa análise à atratividade do país.

sem nome

Banco Mundial de acordo com reestruturação da dívida

Depois de o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Governo de Moçambique terem acordado numa reestruturação da dívida do país, o Banco Mundial (BM) vem também defender que, apesar de terem sido registados alguns progressos na posição orçamental de Moçambique, a dívida pública do país continua insustentável e sem que se registem avanços no processo de reestruturação, não será possível restabelecer a estabilidade orçamental e conter o crescimento dos pagamentos em atraso.

São Tomé e Príncipe

ilha-do-sal-cabo-verde

Novos passaportes e sistema de controlo de fronteiras em janeiro

O primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe, Patrice Trovoada, anunciou a entrada em vigor, brevemente, de novos passaportes e um novo sistema de controlo de fronteiras, medidas que o Governo está a tomar para evitar atividades fraudulentas e criminosas no país. Será o governo português a financiar o custo integral do novo modelo de passaporte e necessária aquisição de equipamentos modernizados para os serviços de emigração e fronteiras, num investimento de 500 mil euros.

FMI diz que economia vai crescer 5% este ano

Também foram discutidos o fortalecimento dos controles de compromissos de gastos públicos que exigem que as entidades orçamentárias observem a dotação orçamentária e medidas para mitigar a evasão fiscal. Se forem realizados progressos na execução do programa, poderá realizar-se uma visita dos economistas do FMI para o Outono de 2017.

Instituições que apoiam os empresários

Em Portugal Embaixada de São Tomé e Príncipe em Portugal Av. 5 de Outubro, Nº 35, 4º andar 1050-047 Lisboa Tel.: (+351) 218 461 917 | Fax: (+351) 218 461 895 E-mail: [email protected] | http://www.emb-saotomeprincipe.pt/   aicep Portugal Global Rua Júlio Dinis, 748, 8º Dto 4050-012 Porto Tel.: (+351) 226 055 300 E-mail: mailto:[email protected]| http://www.portugalglobal.pt…(Ler mais)