Angola

sem nome

Fidelidade inaugura agência

A seguradora Fidelidade Seguros de Angola inaugurou esta semana, em Luanda, um centro de mediação e vendas, no qual investiu cem milhões de dólares (cerca de 17 mil milhões de kwanzas) e foram criados 12 postos de trabalho. O presidente do Conselho de Administração da Agência Reguladora e de Supervisão dos Seguros (Arseg), Aguinaldo Jaime (na foto), considerou que a abertura do centro vai credibilizar o mercado de seguros. O centro conduz “a uma maior taxa de penetração dos serviços e uma maior taxa de densidade, o que não sendo apenas tarefa dos investidores, reguladores e poderes públicos é, antes, resultado de uma parceria do poder público e reguladores e operadores do mercado.”

sem nome

PALOP ganham 1,8 mil milhões no comércio com a Europa

A balança comercial da União Europeia (UE) com os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) é desfavorável aos europeus em quase 1,8 mil milhões de euros. A UE exportou para os PALOP bens e serviços no valor total de 5,1 mil milhões de euros, tendo importando destes países africanos o equivalente a 6,9 mil milhões de euros durante o ano passado, segundo os números agora divulgados pelo Eurostat, o gabinete estatístico da EU.

sem nome

Angola lança concurso internacional para quarto operador de telecomunicações

O Governo angolano vai lançar um novo concurso público internacional para um quarto operador de telecomunicações, incluindo a rede fixa, móvel e de televisão por subscrição, integrando o Estado a estrutura acionista com 45% do capital. O anúncio foi feito hoje, em Luanda, pelo ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha, garantindo que até final deste ano o regulador do setor terá disponíveis os cadernos de encargos para os investidores interessados.

Cabo Verde

sem nome

Privatização da TACV concluída até março

O ministério das Finanças de Cabo-verde, liderado Olavo Correia, pretende concluir o processo de privatização da companhia área TACV até finais do 1.º trimestre do próximo ano. A garantia foi dada perlo próprio ministro, Olavo Correia que afirmou recentemente que a privatização do negócio internacional da TACV vai arrancar com a avaliação da empresa e espera concluir o processo no próximo ano. “Estamos a trabalhar a todo o vapor, mas temos de cumprir com os procedimentos. Tem que haver uma avaliação e só depois é que podemos avançar para o processo de privatização”, afirmou Olavo Correia.

sem nome

Desenvolvimento em Cabo Verde em queda

Cabo Verde caiu para a quarta posição no Índice Ibrahim de Governação Africana 2017. O país somou pontuação de 72.2 pontos num total de 100, contra 73 pontos no ano passado, tendo entrado para o grupo de países com “sinais de alerta”. No topo da lista estão as Ilhas Maurícias, Seychelles e Botswana, num total de 54 países africanos analisados. Apesar de a tendência dos últimos dez anos ser positiva, Cabo Verde desacelerou nos últimos cinco anos na categoria de Desenvolvimento Económico Sustentável.

images387W7ZY9

Embaixada em Cabo Verde recebe cada vez mais pedidos de vistos para estudantes

A embaixada de Portugal em Cabo Verde recebeu já este ano quase 1600 pedidos de vistos para estudantes, numa altura em que, apesar do ano letivo ter já começado, continuam a entrar em média dez novos pedidos por dia. “Houve um aumento. No ano passado houve cerca de 1200 pedidos e este ano já estamos perto dos 1600, que é um aumento substancial. Os pedidos têm também sido feitos mais tarde”, afirmou à comunicação social o cônsul de Portugal em Cabo Verde.

Guiné-Bissau

sem nome

Retomaram as emissões da RDP e da RTP na Guiné-Bissau

As emissões da RDP, da RTP África e da Agência Lusa na Guiné-Bissau estão a retomar a sua atividade naquele país. Após o acordo político celebrado em Portugal, entre o ministro da Cultura português, Castro Mendes e o ministro da Comunicação Social guineense, Vítor Pereira, no início do mês, ficou estabelecido o dia 8 de novembro como o dia de retomar as emissões. Recorde-se que as emissões da RTP, da RDP e da Agência Lusa na Guiné-Bissau estão suspensas desde 30 de junho.

sem nome

PAIGC marca congresso para 2018

Na Guiné-Bissau, IX congresso do PAIGC vai realizar-se entre 30 de janeiro e 04 de fevereiro. A decisão foi tomada durante a reunião do Comité Central, que decorreu ontem na sede do partido em Bissau e que é liderado por Simões Pereira (na foto). A data do congresso ficou determinada na reunião do comité central do PAIGC que ontem terminou em Bissau.

sem nome

Artur Sanhá em campanha para a liderança do PRS

Artur Sanhá, antigo primeiro-ministro apresentou, esta semana, aos militantes a sua candidatura à liderança do PRS e garantiu que se for eleito o partido terá um outro posicionamento perante a crise política que assola o país. O congresso do PRS para escolher novo líder decorre entre 26 e 29 de Setembro.

Moçambique

sem nome

Consulado lança guia do Cidadão Português em Moçambique

O Consulado-Geral de Portugal em Maputo e uma sociedade de advogados lançam hoje um guia para quem já vive ou pretende deslocar-se a Moçambique. O Guia aborda os assuntos a tratar antes da partida para Moçambique (os vistos e obrigações fiscais e de segurança social), e os assuntos a tratar à chegada (a autorização de residência e outras obrigações).

imagesUDYZ3DT2

Governo dá um ano às empresas para regularizarem licenciamento

O Governo de Moçambique publicou o novo regime de licenciamento simplificado para as atividades económicas, no passado mês de julho e concedeu um ano às empresas para regularizarem as suas licenças junto às entidades licenciadoras. O sector da agricultura, do comércio, das comunicações, da construção civil, da cultura, da indústria, das pesca, da prestação de serviços e do turismo estão abrangidos por este no diploma.

Instabilidade e falta de transparência afastam investidores de Moçambique

A consultora BMI Research considerou hoje que a instabilidade política e macroeconómica, juntamente com a falta de transparência, vai manter os investidores internacionais reticentes em investir em Moçambique, que dependerá do setor do gás natural para se desenvolver.
“Moçambique vai continuar como um dos mais arriscados mercados para o desenvolvimento de infraestruturas na África subsaariana, com os investidores preocupados com a atual instabilidade política e económica, falta de transparência e fraco ambiente empresarial em comparação com os pares regionais”, lê-se numa análise à atratividade do país.

São Tomé e Príncipe

sem nome

Banco Mundial doa 84 milhões de euros a São Tomé e Príncipe

O Banco Mundial (BM) vai elevar em 2020 até 84 milhões de euros (100 milhões de dólares) o seu donativo a São Tomé e Príncipe, anunciou Clara de Sousa, representante da instituição no país. “O que o Banco Mundial está a fazer é contribuir com donativos a São Tomé e Príncipe para serem investidos em áreas sociais, infraestruturas e apoio orçamental e aquilo que temos em nossa perspetiva vai levar a que a nossa contribuição financeira para São Tomé, nos próximos dois, três anos, chega um montante de 90 a 100 milhões de dólares”, afirmou a mesma responsável.

ilha-do-sal-cabo-verde

Novos passaportes e sistema de controlo de fronteiras em janeiro

O primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe, Patrice Trovoada, anunciou a entrada em vigor, brevemente, de novos passaportes e um novo sistema de controlo de fronteiras, medidas que o Governo está a tomar para evitar atividades fraudulentas e criminosas no país. Será o governo português a financiar o custo integral do novo modelo de passaporte e necessária aquisição de equipamentos modernizados para os serviços de emigração e fronteiras, num investimento de 500 mil euros.

sem nome

São Tomé e Príncipe alcança a maior taxa de alfabetização dos PALOP

O Programa de Alfabetização de Jovens e Adultos (PAJA) de São Tomé e Príncipe divulgou permitiu que 90% da população acima dos 15 anos esteja alfabetizada, representando o melhor índice entre os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP). Contrapõe-se a Moçambique, no qual o nível de analfabetismo é de 44,9%, correspondente a oito milhões de jovens e idosos analfabetos.