Angola

Governo quer reduzir para metade subsídios às empresas públicas

O Governo angolano pretende cortar para metade os subsídios anuais às empresas do Setor Empresarial Público (SEP) e concluir a privatização de pelo menos 20 unidades não estratégicas, nos próximos quatro anos. O objetivo está inscrito no Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN) 2018-2022, aprovado pelo Governo e já publicado oficialmente.

sem nome

TAAG e TACV autorizadas a voar para a Europa

A Agência Europeia para a Segurança da Aviação (AESA) já a lista de operadores aéreos de países terceiros autorizados a voar para a Europa, incluindo a angolana TAAG e a cabo-verdiana TACV. A lista dos Operadores de Países Terceiros, atualizada, inclui as transportadoras aéreas de Angola (TAAG) e de Cabo Verde (TACV) a voar para os 32 países que a integram, incluindo os 28 Estados-membros da União Europeia (UE).

sem nome

Angola e Moçambique com novas oportunidades para investidores estrangeiros

A empresa internacional de consultoria Control Risks anunciou que Angola está a diminuir o risco e a aumentar a perspetiva de recompensa para os investidores internacionais. E para a mesma consultora, com sede em Londres e escritórios em 36 países, os recentes desenvolvimentos económicos em Moçambique “abriram novas oportunidades para os investidores estrangeiros” em vários setores, registando a segunda melhor evolução em África na relação entre o risco e a recompensa.

Cabo Verde

imagesLNO2W5SF

Cabo Verde na lista de países a necessitar de assistência alimentar

FAO, organização da ONU para a agricultura e a alimentação, coloca Cabo Verde na lista de países a necessitar de assistência alimentar externa, mas o chefe do governo cabo-verdiano nega que o arquipélago esteja a atravessar uma crise alimentar. O país atravessa uma das piores secas das últimas décadas, tendo em aplicação um programa de emergência para o qual mobilizou 10 milhões de euros junto dos parceiros internacionais.

sem nome

Ulisses Correia visita São Tomé e Príncipe

A convite do chefe do Governo da República Democrática de São Tomé e Príncipe, Patrice Trovada, o primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, estará de visita àquele País, de 5 a 10 deste mês, chefiando uma Delegação integrada pelo Ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades, Luís Filipe Tavares, e representantes da INPHARMA e a Empresa Nacional de Produtos Farmacêuticos – EMPROFAC.

praia-da-banana-ilha-do-principe_

Governo adia para 2019 isenção de vistos

A isenção de vistos de entrada em Cabo Verde para cidadãos da União Europeia e Reino Unido, anunciada para Maio, foi adiada para Janeiro de 2019. O Governo cabo verdiano sublinha que o adiamento foi concertado com os operadores turísticos e que vai permitir a 1 de janeiro de 2019 a todas as entidades estarem alinhadas e preparadas para a entrada em vigor da isenção de vistos.

Guiné-Bissau

sem nome

Viaturas oferecidas por Marrocos vão para os deputados

O Presidente guineense José Mário Vaz entregou ontem aos deputados os 90 carros oferecidos pelo Rei de Marrocos. O Presidente do Parlamento, Cipriano Cassamá reivindicava que os carros foram pedidos ao Rei de Marrocos por ele, mas o Presidente José Mário Vaz informou que as viaturas foram oferecidas à presidência guineense.

sem nome

Guiné-Bissau já tem Governo

O Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, nomeou nesta quarta-feira o novo Governo liderado pelo primeiro-ministro, Aristides Gomes, depois de intensas negociações com a participação da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO). O Ministério da Economia e Finanças, que fica sob tutela do primeiro-ministro guineense e o Ministério do Interior, que gerou disputas entre os partidos e a Presidência da República, foi entregue a Mutaro Djaló, um quadro sénior daquele ministério e recentemente promovido a general.

sem nome

Presidente da Guiné-Bissau vai nomear Aristides Gomes como primeiro-ministro

Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, vai nomear primeiro-ministro Aristides Gomes, segundo o comunicado final da cimeira extraordinária da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), que decorreu em Lomé, no Togo. Os chefes de Estado e de Governo da Cedeao estão reunidos desde sábado (14) em Lomé para resolver o impasse político que a Guiné-Bissau vive há cerca de três anos. Durante a cimeira, José Mário Vaz informou os seus homólogos que, após consultas com as forças políticas e sociedade civil, tomou a decisão de nomear Aristides Gomes primeiro-ministro.

Moçambique

sem nome

Mondlane é candidato da Renamo em Maputo nas autárquicas de outubro

Dois dias depois de Venâncio Mondlane ter sido apresentado pelo Secretário-geral, Manuel Bissopo como novo reforço da Renamo, maior partido da oposição do país, chegou o anúncio da sua candidatura ao município de Maputo. O antigo deputado pelo Movimento Democrático de Moçambique (MDM) foi eleito por unanimidade e aclamação, após a desistência dos três membros da Renamo que também concorriam a cabeça-de-lista em Maputo da principal força de oposição moçambicana.

sem nome

Primeiro ministro de Portugal em visita oficial a Moçambique

O primeiro-ministro português, António Costa, chegou, esta quinta-feira, a Maputo para uma visita oficial de dois dias que inclui a III Cimeira Luso-Moçambicana, uma deslocação ao porto de Maputo e encontros com empresários e comunidade portuguesa. A comitiva viajou desde Lisboa e foi recebida por dois ministros moçambicanos – Negócios Estrangeiros e Cooperação, José Pacheco, e Transportes e Comunicação, Carlos Mesquita.

Admira Antonio, Primeira Mulher a alcançar o posto de Comandante em Moçambique. Maputo 26 de junho de 2018. Photo: Jay Garrido

Moçambique tem a primeira mulher comandante de avião

Pela primeira vez, Moçambique passa a contar com uma mulher comandante de aeronave comercial. O feito pertence a Admira António que, desde Junho, cometeu a proeza de passar para o comando das aeronaves do tipo Embraer 145 da MEX – Moçambique Expresso, subsidiária da LAM – Linhas Aéreas de Moçambique. Uma nota de imprensa da LAM, companhia de bandeira nacional, revela que o início deste facto data de 2013, ano em que se iniciou a carreira da ora Comandante Admira, na Mex, onde até ao primeiro semestre do ano em curso era Co-piloto, sempre de aeronaves Embraer 145.

São Tomé e Príncipe

sem nome

Justiça provoca onde de choque político

A exoneração de três juízes do Supremo tribunal na sequência de uma decisão, entretanto revogada, atribuindo a gestão da cervejeira Rosema ao empresário angolano Mello Xavier continua a dominar a atualidade são-tomense. A justiça acabou por restituir a gestão da empresa aos irmãos Monteiro, um contexto que levou à saída destes últimos do MLSTP-PSD, primeira força da oposição cujo líder, Aurélio Martins, tem sido posto em causa a nível interno.

sem nome

Aumenta tensão entre justiça e governo em São Tomé e Príncipe

Na última, segunda-feira, tinha sido anunciada a paralisação, por tempo indeterminado, dos tribunais são-tomenses. Os magistrados e trabalhadores judiciais protestavam contra a destituição de juízes conselheiros do Supremo Tribunal de Justiça. Uma decisão tomada pelo executivo de São Tomé e Príncipe e que passava pela reforma compulsiva três magistrados. Ontem, o Tribunal Administrativo, que supostamente não deveria estar a funcionar, decidiu “suspender a suspensão” dos referidos juízes conselheiros, em resposta a uma providência cautelar interposta pela Associação Sindical dos Magistrados e pela Comissão de Trabalhadores Judiciais.

sem nome

Marcelo Rebelo de Sousa em S. Tomé e Príncipe

Marcelo Rebelo de Sousa, presidente da República de Portugal esteve três dias de visita a S. Tomé e Príncipe. No último dia, quinta-feira, foi recebido por uma multidão na ilha do Príncipe e até teve direito a um hino feito de propósito para a visita. E anunciou que vai ser assinado um acordo económico global durante a visita que o primeiro-ministro, António Costa, vai efetuar ao país até meados deste ano. É que em termos económicos, as exportações portuguesas para São Tomé e Príncipe desceram 12,2% de janeiro a novembro de 2017 face ao mesmo período de 2016. Por outro lado, São Tomé e Príncipe ocupa a posição 149 enquanto fornecedor a Portugal, não tendo qualquer expressão na percentagem total das importações portuguesas.